PGR investiga pagamento de propina à “pessoal do PMDB”

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o senador Jader Barbalho (PMDB-PA) e o deputado Aníbal Gomes (PMDB-CE) estariam envolvidos no caso, referente a um negócio da Petrobras na Argentina

naom_5770f02693ede

Um inquérito sigiloso da Procuradoria-Geral da República ivestiga um possível repasse de propina envolvendo o lobista Jorge Luz e o presidente do Senado, Renan Calheiros. De acordo com matéria da Folha de S. Paulo, o senador Jader Barbalho (PMDB-PA) e o deputado Aníbal Gomes (PMDB-CE) estariam envolvidos no mesmo caso, referente a um negócio da Petrobras na Argentina.

O texto do inquérito diz que “o repasse de vantagem pecuniária indevida a Renan Calheiros, Jader Barbalho e Aníbal Gomes, por meio de valores em espécie no Brasil ou transferências para contas bancárias no exterior, pode configurar os crimes de corrupção passiva qualificado e de lavagem” e é de responsabilidade da vice-procuradora-geral da República, Ela Wiecko, que iniciou a investigação no fim do ano passado, baseada na delação premiada do também lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, onde indica repasses ao “pessoal do PMDB”, como informa a Folha. Segundo ele, o ministro argentino Julio de Vido e o ex-ministro argentino Roberto Dromi também fizeram parte do esquema, embora não confirme o recebimento de propina.

A Polícia Federal já confirmou viagens de Luz à Buenos Aires em 2006. Já Nestor Cerveró, diretor da área internacional da Petrobras na época, também foi ao país vizinho quatro vezes, entre 2006 e 2007, quando foi concretizado um negócio envolvendo a Petrobras e a Electroingenería, por US$ 54 milhões.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
SHARE