O que está por trás do atropelamento em Toronto?

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Polícia e testemunhas não têm dúvida: foi um ato deliberado. Mas, com motorista detido, investigadores evitam fazer conexão entre o ato que matou ao menos dez na cidade canadense e atentados na Europa.

A polícia de Toronto investiga nesta terça-feira (24/04) o que levou um jovem de 25 anos a jogar uma van deliberadamente contra pedestres numa movimentada rua comercial, deixando ao menos dez mortos e 15 feridos.

O motorista foi identificado como Alek Minassian e, embora o atropelamento tenha sido claramente intencional, a polícia por ora evita falar em terrorismo. Até agora, não foi possível fazer conexões entre ele e movimentos extremistas.

“O que aconteceu nesta rua atrás da gente é terrível”, disse Ralph Goodale, ministro da Segurança Pública do Canadá. “Mas não parece estar conectado, de forma alguma, a uma questão de segurança pública, com base nas informações que temos até agora.”

O atropelamento levou imediatamente a temores de que também o Canadá teria entrado na mira do extremismo islâmico, após uma série de ataques, usando automóveis e reivindicados pelo “Estado Islâmico”, em cidades como Nice, Berlim, Barcelona, Londres e Nova York.

Com o motorista detido, investigadores começaram o processo de reconstruir como – e por quê – um dia ensolarado de início de primavera em Toronto se transformou numa cena de horror. Mas, até o início desta terça, pouco havia sido divulgado sobre Minassian: sabe-se apenas que [e morador de Richmond Hill, subúrbio da metrópole canadense, e que não tem antecedentes criminais.

“Esta será uma longa investigação”, disse o vice-chefe da polícia de Toronto, Peter Yuen. O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, pediu calma: “Ainda estamos coletando informações e, assim que pudermos, compartilharemos com os canadenses.”

A polícia canadense recebeu, às 13h26 (horário local), uma chamada de emergência informando que pedestres haviam sido atropelados na movimentada rua Yonge, uma área comercial no norte de Toronto, a maior cidade do Canadá. O furgão branco alugado percorreu a rua ou a calçada na hora do almoço por cerca de um quilômetro.

“Essa pessoa estava intencionalmente fazendo isso, ele estava matando todo mundo”, contou uma testemunha, identificada como Ali, à TV local. “Ele continuou, foi adiante. As pessoas estavam sendo atingidas, uma após a outra.”

O motorista, que tentou fugir do local depois do incidente, foi detido por um policial, aproximadamente meia hora depois e a poucos metros do local dos atropelamentos. Durante a detenção, ele segurava em suas mãos um objeto não identificado, conforme mostram vídeos divulgados nas redes sociais. Ele chega a gritar para o policial – “atire em minha cabeça”. O policial conseguiu prendê-lo sem tiros disparados.

O atropelamento ocorreu a cerca de 30 quilômetros do centro da cidade, onde os ministros do Exterior dos países do G7, incluindo Canadá, Estados Unidos, Reino Unido, França e Alemanha, se reuniram na segunda-feira.

MSN

 


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

LEAVE A REPLY